O projeto

Layer 669 1

INTRODUÇÃO AO PROJETO

Sobre a Iniciativa

 

A Iniciativa para os Princípios de Direitos Humanos em Política Fiscal procura desenvolver e promover um compêndio de princípios e diretrizes que resumem os padrões de direitos humanos aplicáveis à política fiscal.

O compêndio traduz diretrizes gerais de direitos humanos em diretrizes mais concretas e fáceis de implementar, com base em análises rigorosas de diferentes fontes. Além de gerar esse documento, o projeto visa incentivar o uso e a implementação dos Princípios e Diretrizes por atores regionais, nacionais e locais.

NOSSOS RECURSOS

Sobre Nos

 

A Iniciativa para Princípios de Direitos Humanos em Política Fiscal possui diferentes estruturas de trabalho. Em todos os casos, é promovida a diversidade de gênero, regional e disciplinas das pessoas que compõem as estruturas, para garantir que o processo de desenvolvimento e disseminação dos princípios e diretrizes seja aberto, informado e representativo.

O proyecto

A Iniciativa desenvolve e promove um documento de princípios gerais e diretrizes específicas sobre padrões de direitos humanos aplicáveis à política fiscal. Coloca os direitos humanos no centro das discussões tributárias.

História

Os fundamentos da Iniciativa foram lançados anos atrás, quando diferentes organizações e pessoas de toda a América Latina e Caribe começaram a trabalhar no campo da justiça tributária e dos direitos humanos.

Equipe

Conheça o grupo de especialistas de diferentes disciplinas e países que contribuem para o desenvolvimento dos princípios e diretrizes e as organizações da sociedade civil que apóiam a iniciativa.
 

Dados

  • 10 especialistas e especialistas
  • Diversidade de gênero
  • Comitê Interdisciplinar
  • 7 organizações da sociedade civil
  • 5 consultas públicas presenciais

about us02 1

A iniciativa é um projeto focado na América Latina e no Caribe, organizado de forma aberta, colaborativa, interdisciplinar e diversificada em termos de gênero e regional.

Informações do projeto

O que é a Iniciativa para os Princípios de Direitos Humanos na Política Fiscal?

A Iniciativa para Princípios de Direitos Humanos em Política Fiscal procura desenvolver e promover um compêndio de Princípios e Diretrizes que sintetizam os padrões de Direitos Humanos aplicáveis à Política Fiscal. O compêndio traduz as diretrizes gerais sobre direitos humanos em diretrizes mais concretas e fáceis de implementar, com base em uma análise rigorosa de diferentes fontes. Além de gerar esse documento, o projeto visa incentivar o uso e a implementação dos Princípios e Diretrizes por atores regionais, nacionais e locais.

A iniciativa é um projeto focado na América Latina e no Caribe, organizado de forma aberta, colaborativa, interdisciplinar e diversificada em termos de gênero e regional.

Possui duas estruturas principais:
• Um Comitê de Peritos e Peritos, encarregado de redigir e adotar os princípios e diretrizes.
• Um Comitê de Condução, composto por sete organizações da região encarregadas da administração da iniciativa e da comunicação e divulgação dos princípios e diretrizes. Detalhes sobre quem faz parte e o apoio a essa iniciativa podem ser encontrados na seção.

Como surgiu a iniciativa?
O que motiva a iniciativa?
Para quem é a iniciativa?

Linha do tempo

Aqui você pode ver um breve resumo
do Principais eventos da Iniciativa.

2015

Organizações

Grupo de organizações da região começa a trabalhar no posicionamento da política fiscal como uma questão de direitos humanos

2015

2017

Informe CIDH

CIDH publica seu relatório “Pobreza y Derechos Humanos”, observando a relação entre política fiscal e pobreza

2017

2018

Conversas Iniciais

Conversas iniciais sobre a necessidade de construir princípios gerais de direitos humanos na política fiscal

Nov 2018

Primeira Reunião

Primeira reunião presencial em Buenos Aires de membros da Iniciativa

Nov 2018

Abr 2019

Reunião do Comitê de Redação

Primeira reunião presencial em Buenos Aires do Comitê de Redação da Iniciativa

Ago 2019

Primeira reunião preliminar

Reunião presencial do Comitê de Elaboração em Bogotá, para gerar o primeiro rascunho dos Princípios e Diretrizes

Ago 2019

Sep-Dic 2019

Consultas Virtuais

Consultas virtuais sobre o texto do primeiro rascunho

Como é organizado?

A iniciativa é organizada com base em dois órgãos principais: 
Comitê de Peritos e Comitê de Condução

COMITÊ DE PERITOS 

O Comitê de Peritos reúne pessoas de diferentes disciplinas e países da região reconhecidos por sua experiência e autoridade nos campos de política fiscal, direito financeiro e tributário, direitos humanos, direito constitucional e outras disciplinas relevantes. O Comitê é responsável pela adoção dos princípios e diretrizes, após um processo liderado por um subgrupo de seus membros encarregados de redigir o documento (o Comitê de Redação).

PERITOS

Membros do Comitê.

Dayana Blanco Acendra
Dayana Blanco AcendraDiretora Geral da ILEX Acción Jurídica
Dayana Blanco Acendra é Advogada formada pela Universidade de Cartagena, especialista em Direito Processual da Universidade Livre e Direito Econômico Privado da Universidade Nacional da Colômbia. Ela possui um mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela mesma universidade e um LLM com especialização em Teoria Crítica da Raça pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Trabalhou no setor privado, Poder Judiciário, Restituição de terras e direitos territoriais, gênero e no setor de arte e cultura na Colômbia.
Juan Pablo Bohoslavsky
Juan Pablo BohoslavskyEspecialista em Dívida Externa e Direitos Humanos
Juan Pablo Bohoslavsky é um especialista independente em dívida externa e direitos humanos na ONU (2014-2020). Trabalhou na Unctad e foi consultor de empresas do Estado argentino e da CEPAL. Doutor em Direito, estudou em universidades da Argentina, Estados Unidos e Europa. Ele publicou artigos e livros sobre dívida, investimento e direitos humanos.
Horacio Corti
Horacio CortiDoutor em Direito
Doutor em Direito. Professor Titular de Finanças Públicas e Direito Tributário (Universidade de Buenos Aires). Diretor do curso de pós-graduação em Direito Tributário da Universidade de Bons ares. Professor de Finanças Públicas, do curso de dupla graduação em Direito franco-argentino da Université Paris 1 Pantheón-Sorbonne e da Universidade de Salvador.
Maria Goenaga
Maria GoenagaDoutorado em Jornalismo e Bacharel em Sociologia
Atualmente, é professora de Sociologia e Opinião Pública da Seção Departamental de Sociologia Aplicada da Universidade Complutense de Madri (UCM). Também realiza trabalhos de consultoria internacional para diferentes organizações (Banco Mundial, ONU, CIAT, etc.)
Veronica Grondona
Veronica GrondonaEconomista
Verónica Grondona é economista (Universidade de Buenos Aires, 2000), com estudos de pós-graduação em finanças (Universidade Torcuato Di Tella, 2002) e outros; e doutorando em desenvolvimento econômico (Universidade Nacional de Quilmes, em andamento). Atualmente, Veronica é investigadora da Rede de Justiça Tributária.
Ricardo Martner
Ricardo MartnerChefe da Unidade de Assuntos Fiscais da Comissão Econômica
Ele atuou como chefe da Unidade de Assuntos Fiscais da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e atualmente trabalha como economista independente e é membro do ICRICT (Independent Commission for the Reform of International Corporate Taxation)
Jonathan Menkos Zeissig
Jonathan Menkos ZeissigDiretor Executivo da ICEFI
Jonathan Menkos é economista pela Universidade de San Carlos de Guatemala e especialista em desenvolvimento com foco em direitos humanos e política fiscal. Ele possui vários mestrados e
pós-graduação conferida pelas Universidades de Pompeu Fabra / IDEC de Barcelona, ​​Banco de
Guatemala, a Universidade Rafael Landívar e a Universidade de Valparaíso, Chile. Anteriormente, ele trabalhou para o Banco de Guatemala e CEPAL. É membro do Conselho Consultivo de Compromisso com o Patrimônio (CEQ) e da Aliança Latino-Americana para Estudos Críticos sobre o Desenvolvimento. Ele é escritor e participa
em diferentes meios de comunicação, com colunas de opinião.
Bibiana Leticia Ramírez Ramírez
Bibiana Leticia Ramírez RamírezLicenciatura em Ciências Jurídicas e Sociais
Bibiana Ramírez é graduada em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Rural da Guatemala e Professora de Educação Primária Intercultural Bilíngue. Ela faz parte da Coordenadora de Organizações de Mulheres Maias COMAM e da Diretoria Política do Conselho do Povo Maia CPO. Ela participa de espaços de análise sobre autonomia e autodeterminação dos povos indígenas, identidade étnica e política, participação política e política fiscal.
Pedro Rossi
Pedro RossiProfessor, Doutor no Instituto de Economia
Professor, Doutor do Instituto de Economia da Unicamp (Brasil) e pesquisador do Centro de Estudos de Política Econômica e Econômica (CECON). Foi diretor da Sociedade Brasileira de Economia Política (SEP)
Magdalena Sepulveda
Magdalena SepulvedaDiretor Executivo da Iniciativa Global de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais
A Dra. Magdalena Sepúlveda é Diretora Executiva da Iniciativa Global de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (Iniciativa Global de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais). Ele também é membro da Comissão Independente para a Reforma do Imposto Internacional sobre Empresas (ICRICT). De 2008 a 2014, foi Relatora Especial das Nações Unidas para a pobreza extrema e os direitos humanos.
Rodrigo Uprimny
Rodrigo UprimnyAdvogado
Rodrigo é advogado, com mestrado (DEA) em sociologia do desenvolvimento pela Universidade Paris I (IEDES) e doutorado em economia pela Universidade Amiens. Professor e professor emérito da Universidade Nacional da Colômbia e professor visitante em várias universidades. Foi magistrado auxiliar do Tribunal Constitucional e co-juiz desse Tribunal e do Conselho de Estado. Ele é membro da Comissão Internacional de Juristas e do Comitê DESC das Nações Unidas 2015-2018. Ele é colunista do El Espectador. Ele foi Diretor da Dejusticia e atualmente é o Diretor de Políticas de Drogas.
Maria Fernanda Valdés
Maria Fernanda ValdésEconomista
María Fernanda é economista com mestrado em economia política do desenvolvimento pelo Instituto de Estudos Sociais de Haia e doutorado Summa Cum Laude em economia pela Universidade Livre de Berlim.
0
ESPECIALISTAS
0
ORGANIZAÇÕES
0
PROCESSOS DE DIÁLOGO
COMITÊ DE CONDUÇÃO

O Comitê de Condução é formado por um grupo de organizações e redes com ampla e reconhecida experiência nos campos de direitos humanos e justiça tributária na América Latina e no Caribe. As organizações fornecem conhecimento sobre questões de transparência, análise orçamentária, combate a fluxos financeiros ilícitos, financiamento ao desenvolvimento e monitoramento de direitos humanos, entre outras coisas.

O Comitê exerce a coordenação geral do projeto e realiza ações operacionais, de comunicação e divulgação. A secretaria administrativa do projeto é responsável pelo Centro de Direitos Econômicos e Sociais (CESR).

GRUPO DE CONDUÇÃO

Organizações de Comitês

Asociación Civil por la Igualdad y la Justicia
Asociación Civil por la Igualdad y la Justicia(ACIJ) - Argentina
A Associação Civil para Igualdade e Justiça (ACIJ) é uma organização sem fins lucrativos, sem fins lucrativos, dedicada a defender os direitos dos grupos mais desfavorecidos da sociedade e a fortalecer a democracia na Argentina. Fundada em 2002, a ACIJ tem como objetivo defender a validade efetiva da Constituição Nacional e os princípios do Estado de Direito, promover o cumprimento de leis que protegem grupos desfavorecidos e a erradicação de todas as práticas discriminatórias, além de contribuir para o desenvolvimento. práticas participativas e deliberativas da democracia.
Centro de Estudios Legales y Sociales
Centro de Estudios Legales y Sociales(CELS) - Argentina
O Centro de Estudos Jurídicos e Sociais é um órgão argentino de direitos humanos criado em 1979, durante a última ditadura militar, que promove a proteção dos direitos e seu efetivo exercício, justiça e inclusão social, em nível nacional e internacional. Hoje, as principais áreas de trabalho são: memória, verdade e justiça por crimes cometidos no âmbito do terrorismo de Estado; políticas institucionais de violência e encarceramento como áreas de violação dos direitos humanos; inclusão social e direitos econômicos, sociais e culturais, especialmente em relação ao acesso à terra e a um habitat decente; políticas públicas em saúde mental; reformas do sistema de justiça, direitos dos migrantes, direitos sexuais e reprodutivos e liberdade de expressão.
Center for Economic and Social Rights
Center for Economic and Social Rights(CESR) - Global
O Centro de Direitos Econômicos e Sociais (CESR) é uma organização não governamental internacional que luta contra a pobreza e a desigualdade, apoiando os direitos humanos como princípios que devem orientar as políticas sociais, econômicas e de desenvolvimento. Trabalhamos pelo reconhecimento e implementação dos direitos econômicos e sociais - entre eles, os direitos à educação, saúde, alimentação, moradia e trabalho - como uma ferramenta poderosa para promover a justiça social e a dignidade humana. Nossa equipe internacional e interdisciplinar com sede em Nova York e Lima provém dos movimentos de direitos humanos, desenvolvimento e justiça social de diferentes partes do mundo.
Dejusticia
DejusticiaCentro de estudios de derecho, justicia y sociedad - Colombia
"A Dejusticia é um centro de estudos jurídicos e sociais localizado em Bogotá, Colômbia. Dedicamo-nos ao fortalecimento do Estado de Direito e à promoção dos direitos humanos na Colômbia e no Sul Global. Promovemos a mudança social por meio de estudos rigorosos e sólidos. propostas de políticas públicas e realizamos campanhas de advocacy em fóruns de alto impacto.Também realizamos litígios e projetos estratégicos e oferecemos programas de educação e treinamento.Na Dejusticia, acreditamos que o conhecimento comprometido com a justiça social pode contribuir para a mudança, e temos uma abordagem anfíbia, entre pesquisa e ação.
Fundar
FundarCentro de Análisis e Investigación - México
Fundar é uma organização da sociedade civil plural e independente - com sede no México - que é governada pelos princípios de horizontalidade e transparência. Com seu trabalho, busca avançar em direção à democracia substantiva e contribuir para gerar mudanças estruturais que transformam positivamente as relações de poder entre a sociedade e o governo. A sociedade que queremos é justa e participativa, e onde o Estado cumpre plenamente os direitos humanos de indivíduos, comunidades e povos para gerar condições de vida e bem-estar decentes para todos.
INESC
INESC Instituto de Estudos Socioeconômicos - Brasil
O INESC é uma organização não governamental, sem fins lucrativos e apartidária, sediada em Brasília, capital federal do Brasil. Há 40 anos trabalha politicamente com organizações da sociedade civil e movimentos sociais para ter voz nos espaços nacionais e internacionais de discussão de políticas públicas e direitos humanos, sempre olhando para o orçamento público. Ele acredita que entender e interpretar o orçamento público é uma peça fundamental para promover e fortalecer a cidadania e garantir os direitos de todos os cidadãos.
Red de Justicia Fiscal
Red de Justicia Fiscal Red de Justicia Fiscal de América Latina y El Caribe - Regional
A Rede de Justiça Tributária da América Latina e do Caribe é um grupo independente de organizações que busca fortalecer o trabalho de seus membros, estimulando a troca de experiências e ações para aumentar seu impacto na busca de um novo modelo tributário no país. região. Suas áreas de trabalho incluem equipes dedicadas à pesquisa sobre os vínculos entre tributação e gênero, tributação e direitos humanos, tributação e território. Também possui uma área dedicada ao desenho e promoção de campanhas regionais sobre justiça tributária. É composto por 24 organizações de 14 países da América Latina e do Caribe e é membro da Aliança Global pela Justiça Tributária, um coletivo de redes da América Latina, Ásia, África, Europa e Estados Unidos.
A iniciativa é apoiada por uma plataforma mais ampla de instituições e indivíduos que fazem contribuições específicas
ACIJ- Asociacion Civil por la Igualdad y la Justicia
CELS-Centro de Estudios Legales y Sociales
CESR-Center For Economic and Social Rights
Dejusticia-Derecho Justicia Sociedad
Fundar-Centro de Análisis e Investigación
Inesc
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Princípios de Direitos Humanos na Política Fiscal.©2021